sábado, 26 de setembro de 2009

Gols da vitória no Derbi.

Vamos curtir a 11ª vitória sobre a diabada em fotos e vídeos.

Rio Preto 1 x 1 Neles.

"Jales (camisa 3 do Rio Preto) marca o primeiro gol do Jacaré na partida". Foto: Edvaldo Santos. Fonte: Diarioweb.

Rio Preto 2 x 1 Neles.

"Marcus Vinicius corre para marcar o segundo gol, o gol da virada e que definiu a vitória do Rio Preto".
Foto: Edvaldo Santos. Fonte: Diarioweb.

"Willian Goiano (2), Marcus Vinicius (15) e Jales (3) celebram o gol da virada esmeraldina".
Foto: Júnior Faria. Fonte: Futebol Interior.

Video com participação bem divertida dos amigos da Torcida Fanáticos.
video
Fonte: TV TEM - YOUTUBE - São José do Rio Preto (SP).

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

20/agosto/2009 - Rio Preto 2 x 1 Neles - Vídeo Reportagem do jogo.

Vamos curtir a reportagem da TV Record que mostra vitória de virada do Rio Preto contra a diabada, por 2 a 1, no Estádio Anísio Haddad, pela Copa Paulista. O Glorioso conquistou sua 11ª vitória na história do Derbi.
Veiculada no dia 21 de setembro de 2009.

video
Fonte: TV RECORD - YOUTUBE - São José do Rio Preto (SP).

domingo, 20 de setembro de 2009

Glorioso vence novamente o Derbi, agora no Riopretão.

(Foto: Site Futebol Interior).

Na manhã deste domingo, no Estádio Anísio Haddad, o Jacaré venceu de virada a diabada pelo placar de 2 a 1, pela décima terceira rodada da Copa Paulista, no tradicional Dérbi. O Jacaré soma 22 pontos ganhos e está na terceira colocação, conquistando hoje a sua classificação para a próxima fase da competição. Já o Diabinho ficou estacionado nos dez pontos e está eliminado, na penúltima colocação.
Éder aos 41 minutos do primeiro tempo abriu o placar num toque dentro da área por cobertura. Aos 19 minutos do segundo tempo, Jales de cabeça empatou a partida. Elton cobrou escanteio pela esquerda e o jogador apareceu entre a zaga americana, mandando para o fundo do gol. Aos 25 minutos, aconteceu o gol da virada. Na indecisão da defesa deles, o atleta Marcus Vinícius não desperdiçou e fez 2 a 1 para o Rio Preto.

(Foto: Site Futebol Interior).

Ficha Técnica: Rio Preto 2 x 1 América.
Dia: 20 de setembro de 2009.
Local: Estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto-SP
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto.
Renda: R$ 3.965,00.
Público: 569 pagantes.
Cartões Amarelos: Paulinho, Gilberto e Jackson (Rio Preto).
Cartão Vermelho: Jackson (Rio Preto).
Gols: Jales aos 19’/2T e Marcus Vinícius aos 25’/2T (Rio Preto); Éder aos 41’/1T (América).
Rio Preto: Ricardo; Jales, Willian Goiano e Gilberto; Anderson (Jairo), Paulinho, Jackson, Bady (Marcus Vinícius) e Elton; Thauan e Tiziu (Juninho).
Técnico: Sérgio Caetano.
América:Paulo César; Diego Neto, Márcio Ferreira (Caíque), Rafael Piotto e Anderson; Cléber, Willian Veloso (Marcinho), Cacique (Aloizio) e Luís Mário; Éder e Cortez.
Técnico: Xande Marques.

Saudações esmeraldinas ao grande Cannizza, querido membro da Torcida Ultras Rio Preto, que hoje teve o privilégio de ver pela primeira vez, ao vivo, o Glorioso vencer um Derbi, pois como nossas últimas vitórias foram em território inimigo, e por motivos éticos o Cannizza jamais pisará no estádio Lixeirão, até que aconteça sua devolução ao Município de São José do Rio Preto, somente hoje ele se tornou um esmeraldino completamente realizado. Sua paixão estava presente no Riopretão, e junto com outros membros da Ultras, Fanáticos, e outros torcedores, comemorou ironizando as "testemunhas" americanas com o grito "Fica Zanirato".
Parabéns Cannizza, dá-lhe Jacaré!

sábado, 19 de setembro de 2009

Inspiração esmeraldina.

Saudações esmeraldinas! Amanhã teremos mais um Derbi, e para inspirar nosso time para o confronto contra a diabada, vamos mostrar um vídeo amador com o golaço de Guilherme Delatorre, feito na nossa vitória do último Derbi, realizado no "Templo do baixo astral". Agora é na nossa casa, pra cima deles Jacaré!

video

sábado, 12 de setembro de 2009

Jacaré do Couro Duro D'oeste, o mais simpático e democrático dos mascotes.


Era 21 de abril de 1968. Naquela tarde ensolarada Rio Preto ganhava sua mais nova 'jóia de cimento', uma obra 'estilo Pacaembu' - segundo definições utilizadas em reportagens da época - à altura do clube que toma emprestado o nome da cidade. Surgia oficialmente o estádio Anísio Haddad, o Riopretão. O novo e definitivo lar da esquadra esmeraldina deixava de ser a agremiação da Vila Redentora para tornar-se o clube da Vila Universitária. Saía de cena o 'campo do Coronel Bastos' e inaugurava-se o 'lago do Jacaré'. Foi há exatos 39 anos que o réptil assumia formalmente a condição de mascote do Rio Preto. A expressão 'lago do Jacaré', utilizada pelo Diário da Região naquele dia 21 de abril, referia-se justamente ao território onde a equipe rio-pretense passaria a mandar seus jogos. A figura do animal não surgiu por acaso. Foi a maneira que a diretoria do Glorioso encontrou para marcar os 49 anos de fundação do clube, comemorados junto com a inauguração do estádio. A escolha foi feita por meio de concurso, lançado no dia 1º de março de 1968.


O convite público explicava o objetivo de instituir o 'símbolo humorístico do clube, devendo os concorrentes enviar seus desenhos para a sede da entidade, rua Voluntários de São Paulo, 3066, 8º andar, sala 803, impreterivelmente até o dia 5 de abril'. De acordo com as regras do concurso, o símbolo a ser desenvolvido deveria ser entendido 'como uma figura ou imagem que venha caracterizar o Rio Preto E.C. em termos de humor e simpatia'. E mencionava exemplos, como o do Santos, 'cujo símbolo humorístico é a baleia', e do Palmeiras, 'que é o periquito'. As cores verde e branco do Rio Preto deveriam prevalecer no desenho e a figura humana ou outra qualquer não poderia ser imitada de outro clube ou entidade. Uma comissão julgadora ficaria encarregada da seleção e classificação dos desenhos. O trabalho vencedor seria definitivamente adotado em caráter oficial pelo clube. E para não inibir os artistas anônimos o comunicado destacava que o mais importante era 'a idéia bem imaginada, adequada às finalidades do símbolo humorístico'. Não seria julgada preferencialmente a boa execução técnica, 'mas a originalidade do modelo proposto pelo candidato'.


O concurso foi um sucesso. Os irmãos Dinorath e Roberto do Valle - ambos professores, jornalistas e historiadores - foram responsáveis por avaliar os trabalhos, que chegaram às dezenas. Ao todo, 119 figuras passaram pelas mãos da dupla julgadora. Sagrou-se vencedor o traço de Cláudio Malagoli, que trazia a imagem do jacaré controlando uma bola com a cabeça. Na legenda, a frase inspiradora: 'Jacaré, o couro duro do Oeste'. Pela obra, o artista plástico recebeu a premiação de 300 cruzeiros novos. Conforme registrou a edição do Diário da Região de 21 de abril de 1968, o símbolo do Jacaré apareceu pela primeira vez nos cartazes espalhados pela cidade, chamando a atenção do público para o jogo daquela data, entre Rio Preto e Ponte Preta, para comemorar a inauguração do novo estádio e o 49º aniversário do clube.


Foi uma estréia de gala do 'Jacaré'. As festividades naquele dia começaram às 6 horas, com alvorada festiva, e estenderam-se até As 15 horas, início da partida. O Glorioso transmutava-se no réptil esmeraldino a desfilar pela primeira vez na nova casa, diante de sua torcida. O Rio Preto apresentou nada menos que 10 reforços para aquela temporada e entrou em campo com Acosta; Luís, Jacintho, Manu e Alvim; Tião, Nei, Machadinho e Da Silva; Mazinho e Edinho. A derrota por 4 a 1 para a equipe campineira não estragou a festa de batismo do Jacaré, a partir de então símbolo e apelido carinhoso do mais novo representante local na elite do futebol paulista".

Texto do jornalista Marival Correa.
Matéria publicada pelo Diarioweb (28/5/2007).

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A segunda camisa da ULTRAS .

A criação da segunda camisa da história da Ultras Rio Preto é de responsabilidade de um de seus fundadores, Fábio Marques Alves, o Fabinho da Ultras.
A camisa manteve o lema criado pela primeira camisa, "simpatia, amor e tradição", e introduziu a figura do mascote do clube, o Jacaré. Porém o mais criativo foi desenhar um jacaré forte, mostrando o poder da torcida do Rio Preto Esporte Clube. A figura simboliza que gostamos de respeito, mas não faz qualquer apologia a violência nos estádios.
O segundo modelo de camisa da Ultras fez muito sucesso no início do novo século, e trocamos camisas com vários torcedores de outras equipes do interior, confraternização comum de ocorrer com os nossos membros nos estádios do Brasil.

Frente:


Costas:


Lembramos que a Ultras é um grupo de amigos, e não uma torcida organizada convencional. Não compactuamos com qualquer ato de violência no esporte.